ADENOMA PLEOMÓRFICO DE PARÓTIDA: RELATO DE CASO CLÍNICO

Samara Abdo El Hakim Kadri, Marise Vilas Boas Pescador

Resumo


Introdução: De todos os tumores localizados na região da cabeça e pescoço, apenas uma pequena parcela será em glândula salivar, dentro desse grupo a glândula parótida é a mais comumente acometida. Dos tumores na parótida, o Adenoma Pleomórfico é a apresentação mais comum, tendo uma predileção pelo sexo feminino, entre a 3º e a 5º década de vida. Para seu diagnóstico são utilizados exames de imagens, porém, a confirmação é realizada apenas através de estudo histopatológico de material colhido através de punção aspirativa. Na maioria dos casos, o tratamento de escolha é o cirúrgico através de parotidectomia parcial ou total, dependendo de cada caso. Uma das complicações cirúrgicas é a Síndrome de Frey, onde o paciente terá hiperidrose, calor ou hiperemia durante o processo de mastigação. Outras possíveis complicações pós-operatórias são a hemiparesia e/ou hemiplegia facial. Objetivo: Relato de caso de um paciente com adenoma pleomórfico de parótida com um ano de evolução pós-operatório, detalhando a evolução diagnóstica, as características clinicas dessa patologia, assim como os métodos diagnósticos e a escolha de tratamento. Foi realizado uma revisão da literatura sobre o tema, comparando os dados do paciente com os relatados na literatura. Metodologia: Estudo descritivo com relato de um caso de adenoma pleomórfico de parótida envolvendo o uso de prontuário médico. Considerações finais: Sendo a glândula parótida o local de maior acometimento de neoplasias de glândulas salivares, deve ser bem investigada quando houver o aparecimento de nodulação nessa região. O tratamento de escolha na maior parte dos casos é a exérese cirúrgica, possuindo um bom prognóstico.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.