DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA DOENÇA DE CUSHING: UM RELATO DE CASO

Fernando Yukio Machado Hayashi, Marise Vilas Boas Pescador

Resumo


A Síndrome de Cushing ocorre por uma exposição prolongada à ação de glicocorticóides, podendo ser de etiologia exógena ou endógena. A doença de Cushing delimita um problema localizado na hipófise, a qual estará produzindo quantidades excessivas de Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH). Em 80% dos casos essa secreção elevada é decorrente de adenomas corticotrofos hipofisários, principalmente microadenomas (menor que 1 cm em diâmetro). Os pacientes acometidos apresentarão uma produção exacerbada de ACTH pela hipófise resultando em uma produção elevada de cortisol pela glândula adrenal. Além disso, o mecanismo normal de feedback do cortisol, o qual engloba o eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal, está deficitário, com perda do ritmo circadiano, resultando em hipercortisolismo com suas respectivas manifestações clínicas. A Doença de Cushing tem predomínio no sexo feminino, em uma proporção de 8 mulheres para cada homem afetado, acometendo em geral a faixa etária entre 20 e 40 anos de idade. Desse modo, o presente trabalho tem como objetivo o relato de um caso de doença de Cushing abordando o diagnóstico e tratamento dessa patologia, bem como fazer uma revisão bibliográfica sobre o tema, resposta ao tratamento, assim como sua responsividade na melhora dos sinais e sintomas e na qualidade de vida. A metodologia utilizada foi o estudo de um caso por revisão de prontuário, dos exames laboratoriais e exames de imagem pelos quais o paciente foi submetido, bem como a revisão de literatura médica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.