FUNÇÕES DA PAISAGEM: ANÁLISE DOS PARQUES TARQUÍNIO, VITÓRIA E PAULO GORSKI DA CIDADE DE CASCAVEL/PR

Carolina Felix Mendes, Renata Esser Sousa

Resumo


Em sua conformação urbana, a cidade de Cascavel – PR apresenta uma série de parques que se estabeleceram em virtude da potencialização de áreas de fragilidade ambiental. Esses parques estão distribuídos em pontos diversos da cidade, o que possibilita contemplar uma parcela significante de toda a população. Inserindo-se no tema adequação dos parques em virtude de suas funções da paisagem, este trabalho teve como objetivo analisar os três maiores parques da cidade de Cascavel sob o olhar das funções da paisagem (estética, recreativa e ecológica) e propor estratégias que possam potencializá-los. Entende-se como problema desta pesquisa a questão: Os parques da cidade de Cascavel - PR estão atendendo as funções da paisagem? Partindo da hipótese de que, seja possível que os mesmos tenham sido estabelecidos apenas como meras áreas de lazer, esta pesquisa analisou outras importantes funções que estes espaços podem e devem desempenhar enquanto componentes da paisagem urbana, sendo elas função recreativa ou social, função estética, e função ecológica. Os parques analisados foram o Parque Tarquínio Joslin Dos Santos, Parque Vitória e o Parque Ecológico Paulo Gorski – Lago Municipal. Considerando aspectos que relacionam acessibilidade, manutenção, equipamentos urbanos, áreas de convívio, aspectos estéticos, sociais, e ecológicos, o que possibilitou uma leitura ampla de cada um destes parques. O objetivo da pesquisa foi estruturar estratégias que possibilitem que estes parques possam atender a cada uma destas funções em sua totalidade, com o propósito de contribuir com a qualidade de vida e ecológica da cidade de Cascavel – PR.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, ABNT NBR 9050. Acessibilidade e edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 2015. Disponível em:< https://www.aracaju.se.gov.br/userfiles/emurb/2011/07/Normas_NBR9050_AcessibilidadeEdificacoes.pdf > . Acesso em:26/03/2019.

_____________________________ NBR 9284: Equipamento Urbano: classificação. Rio de Janeiro - RJ, 1986.

ANDRADE, J.V. Lazer-Princípios, tipos e formas na vida e no trabalho. Belo Horizonte - MG, Autêntica. 2001

ALVAREZ, I.A. Qualidade do espaço verde urbano: uma proposta de índice de avaliação. Tese de doutorado em agronomia, USP, São Paulo - SP, 2004.

Áreas Verdes Resolução CONAMA: Disponível em: Acesso em: 06 de março de 2019.

CORADINI, M.P. Leituras de paisagens em parques urbanos: função e percepção. Tese de mestrado. UEL, Londrina - PR, 2008. Disponível em: . Acesso em: 19/03/2019.

DE ANGELIS, B.L. D; LOBODA, C. R. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Guarapuava - PR, 2005. Disponível em: https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/viewFile/157/185. Acesso em: 06 de março de 2019.

DEL RIO, V. Introdução ao Desenho Urbano: no Processo de Planejamento São Paulo: Pini, 1990.

DIAS, L.V.G. Um estudo de morfologia urbana da cidade de Poços de Caldas. PUC - Campinas. Campinas - SP, 2016. Disponível em: < http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/915#preview-link0>. Acesso em: 29/03/2019.

DUMAZEDIER, J. Lazer e cultura popular. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

FARRET, R. L. O Espaço Da Cidade. 1ª Edição São Paulo - Editora Parma Ltda. 1985.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6° edição - São Paulo - SP. Atlas, 2008.

GOMES, M. A. S. Os parques e a produção do espaço urbano. Jundiaí: Paço Editorial, 2013, 176p.

GUEDES, J.B. Design no urbano metodologia de análise visual de equipamentos no meio urbano. Universidade Federal de Pernambuco. Recife - PB, 2005. Disponível em: < https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/3115/1/arquivo5409_1.pdf>. Acesso em: 27/03/2019.

GUZZO, P. Estudos dos espaços livre de uso público e da cobertura vegetal em área urbana da cidade de Ribeirão Preto SP. Dissertação (Mestrado em Geociências). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro - SP. 1999

HUISMAN A. A Estética. Lisboa - Portugal: Edições 70, 1994. 134 p.

JUNQUEIRA, J.R. Análise da evolução das áreas verdes urbanas utilizando séries históricas de fotografias aéreas. UFSC, Florianópolis - SC, 2010.

KOCH, M. B. Parques urbanos Sul - Americanos: Imaginação e Imagonabilidade. Paisagem e Ambiente, FAU - USP, São Paulo - SP, 2009.

LAKATOS, E.M; MARCONI, M.A. Fundamentos de metodologia científica. - 5° edição. São Paulo - SP. Atlas, 2003.

LAMA, J. M. R. G. Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. 3 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

LIRA FILHO, J.A. Paisagismo princípios básicos. Viçosa - MG, 2012.

LIMA, A. M. L. P. et al. Problemas de utilização na conceituação de termos como espaços. 1° Edição - São Paulo, 1994

_______________ ROBBA F. Praças Brasileiras. Editora da Universidade de São Paulo, Campinas - SP, 2003.

MAGNOLI, M.M. O parque no desenho urbano. Paisagem Ambiente: ensaios - n. 21 - São Paulo - p. 199 - 214 - 2006. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/paam/article/view/40250/43116>. Acesso em: 29/03/2019.

MASCARÓ, J; MASCARÓ L. Vegetação Urbana. Porto Alegre - RS. 1999.

_________________________. Infra-Estrutura da Paisagem. Porto Alegre - RS. 2008.

MAYMONE, M. A. A. Parques urbanos - origens, conceitos, projetos, legislação e custos de implantação estudo de caso: parque das nações indígenas de campo grande, MS. UFMS, Campo Grande - MS, 2009.

MAZZEI, K. Áreas verdes urbanas, espaços livres para o lazer. Sociedade & natureza, Uberlândia - MG, 2007.

MORAES, F. A.; GOUDARD, B. e OLIVEIRA, R. Reflexões sobre a cidade, seus equipamentos urbanos e a influência destes na qualidade de vida da população. Revista Internacional Interdisciplinar INTHERthesis, v. 5, n. 2. Doutorado interdisciplinar em Ciências Humanas, UFSC -SC, 2008.

MOTA, V.S. Lazer, recreação e qualidade de vida: uma visão do espaço público urbano na cidade de Manaus. Revista Atividade Física, Lazer & Qualidade de Vida. Manaus, v.1, n.1, p.42- 56, nov. 2010.

REGO, R.L; MENEGUETTI, K.S. A respeito de morfologia urbana. Tópicos básicos para estudos da forma da cidade. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. UEM, Maringá - PR, DOI:10.4025/actascitechnol.v33i2.6196, 2011. Disponível em: < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciTechnol/article/view/6196/6196>. Acesso em: 29/03/2019.

RODRIGUES, G.M. Qualidade dos parques de vizinhança e parques de bairro: uma proposta de índices de avaliação. UFP. João Pessoa - PA, 2012.

SANTOS, A.C.M.F; MANOLESCU F.M.K. A importância do espaço para o lazer em uma cidade. XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica. UNIVAP, Vale do Paraíba -PB, S/D. Disponível em: < http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2008/anais/arquivosEPG/EPG01058_01_O.pdf> . Acesso em: 26/03/2019.

SANTOS, C. A.; BLATT, C. R.; COSTA, P. M. Espaços públicos de lazer; história e

espaços urbanos de lazer. In: congresso de pesquisa e inovação da Rede norte nordeste de educação tecnológica, 2., 2007, João Pessoa. Anais... Salvador: Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão, 2007. Disponível em: . Acesso em: 19/03/2019.

SCALISE, W. Parques urbanos: evolução, projeto, funções e uso. Assentamentos

Humanos, Marília, v. 4, n. 1, 2002. não paginado. Disponível em: . Acesso em: 19/03/19.

SEGAWA, H. Ao amor do público: jardins no Brasil. São Paulo: Studio Nobel: FAPESP, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.