INTERVENÇÃO URBANA COMO FORMA DE MELHORAR A CAMINHABILIDADE E PROMOVER A MOBILIDADE ATIVA: O ESTUDO DE CASO DE CASCAVEL/PR

Sirlei Maria Oldoni, Suellen Barth dos Santos, Mariana Pizzo Diniz

Resumo


A presente pesquisa insere-se na temática da sustentabilidade urbana, uma vez que parte do pressuposto de que uma cidade que possua espaços adequados para caminhar e para a utilização de transportes ativos torna-se, potencialmente mais sustentável. Nesta perspectiva, este trabalho tem por objetivo compreender de que forma as mudanças realizadas na Avenida Brasil da cidade de Cascavel/PR, promoveram a mobilidade ativa com qualidade para os habitantes. O recorte do estudo compreende o trecho entre a Praça do Migrante e a Catedral Nossa Senhora Aparecida da Avenida Brasil da cidade. Com relação aos métodos utilizados para o desenvolvimento do estudo, estes partiram inicialmente de pesquisa bibliográfica, para em seguida, efetuar a análise in loco através do método morpho e nos princípios da caminhabilidade de Speck (2017). Como resultado, compreendeu-se que as mudanças efetuadas na Avenida contribuem para a mobilidade ativa com qualidade e consequentemente promovem a sustentabilidade da cidade.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, V.; LINKE, C. C. Cidades para pedestres: a caminhabilidade no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Babilonia Cultura Editorial, 2017.

A VOZ DO PARANÁ. Cascavel: 65 anos de conquistas e desenvolvimento. Jornal A Voz do Paraná. 16 de nov. de 2016. Disponível em: . Acesso em: 09 de ago. 2018.

CASCAVEL. Ex-prefeitos. Portal do Município de Cascavel. s/d. Disponível em: . Acesso em: 09 de ago. 2018.

COLIN, S. Pós-modernismo: repensando a arquitetura. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2004.

CHOAY, F. O urbanismo. 5.ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

DIAS, C. S.; FEIBER, F. N.; MUKAI, H.; DIAS, S. I. S. Cascavel: um espaço no tempo. A história do planejamento urbano. 2. ed. Cascavel: Sintagma, 2005.

GEHL, J. Cidades para pessoas. 3.ed. São Paulo: Perspectiva, 2015.

GIL, L. G. A construção de Cascavel – PR: da formação do pouso às ressonâncias das propostas urbanísticas de Jaime Lerner até 1989. 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo). Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2015.

GEOPORTAL. Avenida Brasil, Cascavel-PR. Cascavel: IPC (instituto de planejamento de Casvael). Imagem de satélite. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2019.

GHIDINI, R. A Caminhabilidade: medida urbana sustentável. Revista dos Transportes Públicos, ANTP, ano 33, 1o quadrimestre, p. 21-33, 2010.

MALATESTA, M. Caminhabilidade e segurança: o desafio do desenho urbano nas cidades brasileiras. In: ANDRADE, V.; LINKE, C. C. (Org.). Cidades de pedestres: a caminhabilidade no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Babilonia Cultura Editorial, 2017.

MARIANO, M. Tempo e modernidade: a incorporação da rodovia para a interiorização e modernização dos estados. In: XVI Encontro Estadual de História – Tempo, memórias e expectativas. UDESC, 19 a 22 de ago. de 2012, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: UDESC, 2012. p. 1-14.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL (U.S.). Driving and the built environment: the effects of compact development on motorized travel, energy use, and CO2 emissions. Transportation Research Board special report. Washington, D.C: Transportation Research Board, 2009.

OLIVEIRA, V. Morpho, a methodology for assessing urban form. Urban Morphology, v. 17, n. 1, p.149-161, 2013.

OLIVEIRA, V.; SILVA, M. Morpho: investigação morfológica e prática de planeamento. Revista de Morfologia Urbana, n. 1, p. 31-44, 2013.

OLIVEIRA, V.; SILVA, M.; SAMUELS, I. Urban morphological research and planning practice: A Portuguese assessment. In: Urban Morphology, v. 18, p. 23-39, 2014.

PORTAL DO MUNICÍPIO DE CASCAVEL. Avenida Brasil Cascavel-PR. Fotografia. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2019.

SANTOS, J. Uma cidade em movimento: o desenvolvimento urbano de Cascavel a partir do acervo fotográfico do MIS – Museu da Imagem e do Som – de Cascavel (1960 – 1975). In: III Encontro Nacional de Estudos da Imagem, 2011, Londrina. Anais [...]. Londrina: 2011. p. 1490-1509.

SANTOS, S. B. dos; OLDONI, S. M. Caminhabilidade: uma visão da Avenida Brasil de Cascavel – Paraná. In: XVIII ENANPUR, 27 a 31 de maio de 2019, Natal. Anais [...]. Natal: 2019. p. 1-23.

SOARES, N. M.; RODRIGUES, S. L. B.; CASA, A. N.; LIMA, D. S.; TAVARES, K. “Memórias da Cidade” Planejamento Urbano de Cascavel e suas Consequências. Revista Advérbio, Cascavel, 2008.

SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA. Planmob - caderno de referência para elaboração de plano de mobilidade urbana. Brasília: Ministério das Cidades, 2017. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2019.

SPECK, J. Cidade caminhável. (Trad.) DIMARCO, A; NATIVIDADE, A. 1.ed. São Paulo: Perspectiva, 2017.

SPERANÇA, A. A. Cascavel: a história. Cascavel: Editora Gráfica Positiva, 2007.

VARGAS, J. C. B. Forma urbana e rotas de pedestres. 2015. Tese (Doutorado em Engenharia) – Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

ZABOT, C. M. Critérios de avaliação da caminhabilidade em trechos de vias urbanas: considerações para a região central de Florianópolis. 2013. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.