PREVALÊNCIA DE DISFUNÇÃO SEXUAL FEMININA EM MULHERES QUE BUSCAM ATENDIMENTO GINECOLÓGICO EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DE CASCAVEL/PR

Isabella Ávila Pandolfo, Vinícius Belaver Lavratti, Flavio Fontana Júnior, Gabriela Costanzo Smarczewski, Adriano Luiz Possobon

Resumo


Com base no questionário Quociente Sexual – Versão Feminina (QS-F) e utilizando uma amostra de 69 mulheres, este estudo apresenta as prevalências de disfunção sexual feminina e analisa a relação dessa com a presença de múltiplos fatores como uso de método anticoncepcional, relacionamento estável há mais de 6 meses, parto há menos de 6 meses e tabagismo. Nossos resultados estimam a prevalência de disfunção sexual feminina em 22% das mulheres. As maiores prevalências se concentram em mulheres que usam como meio de anticoncepção o dispositivo intrauterino de progesterona, laqueadura e o implante hormonal, mulheres em relacionamentos estáveis há mais de 6 meses e tabagistas. A identificação da amplitude desse problema parte do conhecimento das prevalências das mulheres afetadas.


Texto completo:

PDF

Referências


ABDO, C. H. N. Quociente sexual feminino: um questionário brasileiro para avaliar a atividade sexual da mulher. Diagn Tratamento, v. 14, n. 2, p. 89–1, 2009.

BASSON, R.; BERMAN, J.; BURNETT, A.; et al. REPORT OF THE INTERNATIONAL CONSENSUS DEVELOPMENT CONFERENCE ON FEMALE SEXUAL DYSFUNCTION: DEFINITIONS AND CLASSIFICATIONS ROSEMARY. The Journal of Urology, v. 163, n. March, p. 888–893, 2000.

BURROWS, L. J.; BASHA, M.; GOLDSTEIN, A. T. The Effects of Hormonal Contraceptives on Female Sexuality: A Review. Journal of Sexual Medicine, v. 9, n. 9, p. 2213–2223, 2012. Elsevier Masson SAS. Disponível em: . .

ÇAYAN, S.; AKBAY, E.; BOZLU, M.; et al. The prevalence of female sexual dysfunction and potential risk factors that may impair sexual function in Turkish women. Urologia Internationalis, v. 72, n. 1, p. 52–57, 2004.

CEREJO, A. C. Disfunção sexual feminina Prevalência e factores relacionados. Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, v. 22, p. 701–20, 2006.

FREITAS, F.; MENKE, C. H.; RIVOIRE, W. A.; PASSOS, E. P.; COLABORADORES, E. Rotinas em Ginecologia. 6 edição ed. São Paulo, SP: Artmed Editora S.A., 2011.

GOLDMEIER, D.; MALIK, F.; PHILLIPS, R.; GREEN, J. Cost implications of sexual dysfunction: The female picture. International Journal of Impotence Research, v. 16, n. 2, p. 130–134, 2004.

HARTE, C. B.; MESTON, C. M. The Inhibitory Effects of Nicotine on Physiological Sexual Arousal in Nonsmoking Women: Results from a Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled, Cross-Over Trial. International Society for Sexual Medicine, p. 1184–1197, 2008.

KLUSMANN, D. Sexual Motivation and the Duration of Partnership. Archieve of Sexual Behavior, v. 31, n. 3, p. 275–287, 2002.

NUSBAUM, M. R. H.; HELTON, M. R.; RAY, N. The changing nature of women’s sexual health concerns through the midlife years. Maturitas, v. 49, n. 4, p. 283–291, 2004.

PHILLIPS, N. A. Female Sexual Dysfunction : Evaluation and Treatment. American Family Physician, 2000.

SADOCK, B. J.; SADOCK, V. A.; RUIZ, P. Compêndio de Psiquiatria: ciência do comportamento e psiquiatria clínica. 2017.

SHIFREN, J. L.; MONZ, B. U.; RUSSO, P. A.; SEGRETI, A.; JOHANNES, C. B. Sexual problems and distress in united states women: Prevalence and correlates. Obstetrics and Gynecology, v. 112, n. 5, p. 970–978, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.