CIDADE PARA QUEM? UMA ANÁLISE DA ARQUITETURA HOSTIL E SUA INFLUÊNCIA NO ESPAÇO URBANO

Sirlei Maria Oldoni, Natalia de Lara Rampasi

Resumo


Esta pesquisa, que faz parte do Trabalho de Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz, teve como objetivo analisar a chamada arquitetura hostil e como ela pode interferir na utilização do espaço público nas cidades contemporâneas. Assim, o trabalho teve como problema de pesquisa identificar se existe a arquitetura hostil em cidades de médio porte, por meio do estudo de caso realizado na cidade de Cascavel/PR. A base para o trabalho foi a pesquisa bibliográfica acerca do tema. A análise fundamenta-se através da metodologia de pesquisa de campo por meio da coleta de dados quantitativos e qualitativos obtidos nas visitas in loco realizadas em três diferentes recortes: o primeiro, no bairro Centro onde foram observados os mobiliários e dispositivos hostis; no segundo recorte foram identificados os enclaves fortificados e, por fim, no último recorte estão indicados os viadutos. O tema justificou-se nos âmbitos social, cultural e acadêmico, pois pode influenciar a reflexão e futuros debates a fim de modificar a situação atual da sociedade, incentivando a construção de cidades inclusivas e acessíveis para todos.

Palavras-chave: Arquitetura hostil. Enclaves fortificados. Espaço urbano. Segregação social.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Patricia Alonso de. Quando o design exclui o Outro: dispositivos espaciais de segregação e suas

manifestações em João Pessoa PB. Arquitextos, São Paulo, ano 12, n. 134.05, Vitruvius, jul. 2011. Disponível em:

. Acesso em: 20 mar. 2020.

ANDREOU, Alex. Anti-homeless spikes:‘Sleeping rough opened my eyes to the city’s barbed cruelty’. The Guardian,

v. 19, 2015. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2020.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Editora

; Edusp, 2000.

CASCAVEL. Diagnóstico do Plano Diretor. 2016. Disponível em:

ZoOMuf2UcX17eQksXaDnRt.pdf>. Acesso em: 02 set. 2020.

______. Abordagem a pessoas em situação de rua é tema de reunião na Presidência. 2019. Disponível em:

. Acesso em: 05 mai. 2020.

______. Casa de Passagem para População em Situação de Rua. s/d a. Disponível em:

. Acesso em: 05 mai. 2020.

______. Portal do Cidadão - Município de Cascavel. s/d b. Disponível em:

. Acesso em: 17 abr. 2020.

CATVE. Reforma administrativa da Prefeitura de Cascavel entra em pauta. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 04

nov. 2020.

______. Frio: Assistência Social intensifica abordagens a pessoas em situação de rua. 2019. Disponível em:

. Acesso em: 05 mai. 2020.

COX, Maria Inês Pagliarini; COX, Elisa Pagliarini. Interdições ao corpo no corpo da cidade: arquitetura, urbanismo,

discurso e controle social. Revista Linguasagem, v. 24, n. 1, 2015. Disponível em:

. Acesso em: 15 mar. 2020.

DAILY MAIL REPORTER. Well that's one solution to people sleeping rough! China puts down concrete spikes to stop

beggars dossing under city bridges. Dailymail, 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2020.

DIAS, Shayenne Barbosa; JESUS, Cláudio Roberto de. Cidade hostil. Revista GEOgrafias, v. 27, n. 1, p. 26-50, 2019.

Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2020.

DIAS, Solange Irene Smolarek. Apostila de estudos: História da Arquitetura I. Cascavel: CAUFAG, 2010.

FERRAZ, Sonia Maria Taddei; CABRAL, Fabiana de Matos Carvalho; FURLONI, Camila Bezerra; MADEIRA,

Camila Siqueira. Arquitetura da Violência: os custos sociais da segurança privada. XI Encontro Nacional Da ANPUR,

p. 1-19, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2020.

FERRAZ, Sonia Maria Taddei; FURLONI, Camila Bezerra; MADEIRA, Camila Siqueira. Arquitetura da violência:

morar com medo nas cidades. Quem tem medo de que e de quem nas cidades brasileiras contemporâneas. RBSE–

Revista Brasileira de Sociologia da Emoção, v. 5, n. 13, p. 54-84, 2006. Disponível em:

Acesso em: 02 abr. 2020.

FERRAZ, Sonia Maria Taddei; ACIOLY, Leticia Lyra; BENAYON, Julia Silva; MENDONÇA, Paula Ramos C. C;

ROSADAS, Luiz Gustavo Campos. Arquitetura da violência: a arquitetura antimendigo como eureca da regeneração

urbana. Movimento - Revista de Educação, n. 3, 2015. Disponível em:

. Acesso em: 20 mar. 2020.

GAZETA DO POVO. 10 cidades concentram 42% da população do PR. Veja o ranking das mais populosas.

Disponível em: . Acesso em: 31 out.

GEHL, Jan. Cidade Para Pessoas. Perspectiva: São Paulo, 2010.

GEOPORTAL. Governo Municipal de Cascavel. 2020. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2020.

GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos: coleção pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman Editora, 2009.

GLANCEY, Jonathan. A História da Arquitetura. São Paulo: Edições Loyola, 2001.

GYMPEL, Jan. História da Arquitectura: da Antiguidade aos nossos dias. Alemanha: Könemann, 2001.

HOMETEKA. Arquitetura hostil: 9 imagens para entender como as cidades não são feitas para todos. 2015.

Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2020.

IBGE. IBGE Cidades – Cascavel – Paraná, 2019. Disponível em:

. Acesso em: 18 abr. 2020.

LEITE, Tiago Pereira. Violência e políticas públicas para juventude: aproximações entre os casos de Medellín e

Cascavel. Revista Gestão e Desenvolvimento, v. 13, n. 1, p. 27-44, 2016. Disponível em:

. Acesso em: 22 mai. 2020.

MELGAÇO, Lucas. Securização urbana: da psicoesfera do medo à tecnoesfera da segurança. 2010. Tese (Doutorado

em Geografia), Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em:

. Acesso

em: 26 mar. 2020.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira, 2002.

PETTY, James. The London spikes controversy: Homelessness, urban securitisation and the question of ‘hostile

architecture’. International Journal for Crime, Justice and Social Democracy, v. 5, n. 1, p. 67, 2016. Disponível em:

. Acesso em: 18 mar. 2020.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas

da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

ROSANELI, Alessandro Filla. Olhares pelo espaço público. 1 ed. Curitiba: Setor de Tecnologia da UFPR, 2019.

Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2020.

SAVICIC, Gordan; SAVIC, Selena. Unpleasant Design. Designing Out Unwanted Behaviour. 5th STS Italia

Conference. A Matter of Design: Making Society through Science and Technology. Milan, 14 p, 2014. Disponível em:

. Acesso em: 10

mar. 2020.

SCHMIDT, Selma. Chuveirinho vira arma para espantar mendigo. O Globo, 2005. Disponível em:

. Acesso em: 06

mai. 2020.

SILVA, Gabriel Oliveira de. Gentrificação e higienização social: um estudo de caso acerca do desvirtuamento do

instituto da desapropriação. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito), Faculdade Baiana de

Direito. Salvador. Disponível em:

. Acesso

em: 26 mar. 2020.

SOUZA, Eduardo; PEREIRA, Matheus. Arquitetura hostil: A cidade é para todos? ArchDaily Brasil, 2018. Disponível

em: . Acesso em: 06 mai. 2020.

SOUZA, Marcelle Machado. Sorria você está sendo filmado: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o

direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços

públicos e privados. 2008. Dissertação (Mestrado Departamento de Direito), Pontifícia Universidade Católica do Rio de

Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em: .

Acesso em: 20 mar. 2020.

SPERANÇA, Alceu. Cascavel: a história. Curitiba: Lagarto Editores, 1992.

TAVARES, Diego Amador. Arquitetura da violência: Um estudo sobre insegurança pública em Belém em meio à

segregação social e a cultura da barbárie. 3º Encontro da Região Norte da Sociedade Brasileira de Sociologia:

Amazônia e Sociologia: fronteiras do século XXI. Manaus, 2012. Disponível em:

. Acesso em: 06 mai. 2020.

VALMORBIDA, Leomar. Densidade urbana e populacional e seus efeitos multitemporais na cidade de

Cascavel/PR. 2012. Dissertação (Mestrado em Geomática), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

Disponível em:

y>. Acesso em: 17 abr. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.