RELEVÂNCIA DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA CARDÍACA NO DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO DE CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA - RELATO DE CASO

Marithza Mayumi Hata, Ana Paula Susin Osório, Leandro Shigueru Ikuta Ueda

Resumo


Objetivo: Relatar um caso de uma portadora de Cardiomiopatia Hipertrófica (CMH) em idade avançada e evidenciar a relevância da Ressonância Magnética Cardíaca (RMC) ao analisar o prognóstico da doença através da identificação de fibrose miocárdica. Método: As informações obtidas foram revisadas por meio de prontuários, entrevista com o paciente, registro das imagens dos métodos diagnósticos submetidos ao paciente e revisão literária. Resultados: O presente artigo trás à discussão a importância da RMC em pacientes com CMH ao possibilitar identificar, através de imagens com alta resolução, risco de mortalidade no prognóstico da doença por meio do reconhecimento de fibrose miocárdica. Conclusões: Diante de uma tecnologia avançada, a RMC torna possível a identificação e, consequentemente, a execução de medidas precoces nesses pacientes com riscos evitando-os à ocorrência de eventos infortunos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.