AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL (IMC) E COMPARAÇÃO ENTRE ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA E OUTRA PRIVADA NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL/PR

Mariana Giordani, Marise Vilas Boas Pescador

Resumo


Fundamento: A obesidade infantil é um problema de saúde pública no país, e o nível socioeconômico pode influenciar nesse valor. Objetivo: Realizar o diagnóstico nutricional através do cálculo do IMC e avaliar comparativamente esse índice em crianças do ensino fundamental I (6 a 10 anos) do setor público e privado no município de Cascavel – PR. Material e Método: Estudo experimental, com pesquisa de campo aplicada de natureza quantitativa, com objetivo explicativo, de 139 escolares, em 2013. Foram incluídos todos os escolares que preencheram o protocolo de coleta de dados, sendo aferido nesses as medidas de peso e altura e realizado o calculado do IMC. O estado nutricional dos participantes foi classificado com base no IMC em eutrófico, sobrepeso e obesidade tendo como base tabela específica padronizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Foi utilizada uma análise descritiva dos dados, com valores de média, desvio padrão, frequência absoluta e relativa das variáveis de peso, altura e IMC. Para comparação de médias entre as escolas nas variáveis de peso, altura e IMC, foi utilizado o teste T de Student para amostras independentes, e para verificar a associação da classificação do estado nutricional em relação ao tipo de escola o teste de chi quadrado. Todas as análises foram rodadas no software SPSS versão 13.0, o valor de significância adotado foi de p < 0,05. Resultados: Foram avaliados 139 escolares, sendo 112 da escola pública e 27 da privada, de ambos os sexos (68 meninas - 48,9%; 71 meninos - 51,1%), com idades compreendidas entre 6 a 10 anos. Ao comparar as variáveis peso, estatura e IMC em relação ao tipo de escola, pareado pela idade, não foram identificadas diferenças estatisticamente significativas entre as médias para nenhuma das idades (P > 0,05). De acordo com os resultados foram encontrados 39,3% de escolares com peso inadequado na escola pública, e 29,6% da escola particular, sendo que o esperado é de 20%. Comparando a classificação do estado nutricional entre as escolas, não foram identificadas diferenças estatisticamente significativas (x = 1,48;, p = 0,477) entre as mesmas. Conclusões: De acordo com os resultados do presente estudo, foram verificados valores percentuais elevados de escolares com sobrepeso e obesidade, sendo esses acima do esperado (20%). Apesar das escolas serem utilizadas de forma geral como parâmetro de diferenciação de nível socioeconômico e desse ser citado em diversos estudos como fator influenciador no desenvolvimento de peso, estatura e IMC, no presente estudo, essas diferenças não foram observadas tanto para os valores de média quanto para a classificação do estado nutricional.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.