AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE INTERATIVA ENTRE Bacillus thuringiensis E Baculovírus anticarsia NO CONTROLE DA LAGARTA DA SOJA

Jaqueline Suelen Loeblein, Carlos Eduardo Alessio, Renato Cassol de Oliveira, Bruno Bonemberger da Silva

Resumo


Na cultura da soja, a Anticarsia gemmatalis é a praga mais comum entre as lagartas desfolhadoras. Considerando o potencial de associação de inseticidas biológicos para controle deste inseto, o objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência do Baculovírus anticarsia em mistura com a dosagem recomendada e reduzida de um produto a base de Bacillus thuringiensis em condições de campo na safra agrícola de 2016/17 em Campo Bonito, PR. Utilizou-se a cultivar Nidera 6767, através do delineamento experimental de blocos casualizados, com seis tratamentos e quatro repetições. A pulverização foi feita com aproximadamente 14 lagartas pequenas (<1,5 cm) e 7 lagartas grandes (>1,5 cm). Para a avaliação, foram feitas três amostragens ao acaso, sendo observado o número de lagartas vivas aos 0, 4, 7, 10, 12 e 15 dias após a aplicação (DAA). Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias estudadas através do teste de Tukey a 5%. Os resultados indicaram que as misturas Baculovírus SOJA WP BR vírus® + Dipel® e Baculovírus SOJA WP BR vírus® + Dipel® 50% foram as mais eficientes no controle da lagarta da soja no decorrer das avaliações, apresentando redução significativa das populações aos 4 DAA. O tratamento Dipel® na dosagem recomendada e Dipel® 50% apresentou controle satisfatório aos 4 e 7 DAA, porém, observou-se efeito residual curto quando comparado ao tratamento em associação com o Baculovírus anticarsia. O tratamento com o Baculovírus anticarsia isolado apresentou controle significativo somente a partir de 7 e 10 DAA, respectivamente.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.